sábado, 15 de agosto de 2009

40 Anos de Woodstock



Sem Bob Dylan, os Beatles, os Stones, os Doors ou os Kinks. Mas com Jimi Hendrix, Crosby, Stills, Nash & Young; Sly & The Family Stone, The Who, Creedence Clearwater Revival, The Band, Grateful Dead, Janis Joplin, etc, etc e etc. E mais de 500 mil pessoas numa celebração em nome dos ideais de paz, amor e muita droga à mistura.





Foi o festival que marcou o principio do fim dos anos 60 e anunciou muito do que estaria para vir. Deu força a uma geração em luta contra os poderes instituídos e contra o conservadorismo vigente numa sociedade em transformação. Foi também um massivo e esmagador protesto pacífico contra a guerra do Vietname. Para mim, que ainda estava longe de estar vivo, de Woodstock ficou-me Jimi Hendrix, um inspirado Richie Havens a cantar sem dentes - como protesto ou para soar melhor ainda não sabemos; um documentário excelente, janados, confusão, lama e alguma música soberba.