segunda-feira, 1 de março de 2010

Bobby Cassidy


Confesso que já estava à espera, mas "Bobby Cassidy: Counterpuncher" de Bruno de Almeida enche mesmo as medidas. Transbordante de força e da emergência de um ultimo Assalto ao qual não podemos faltar. Nele estão contidas a raiva, a rejeição, a paternidade, o amor... Isto do boxe como metáfora da vida não é aqui nenhum cliché. Vem mesmo das visceras.
Vi-o no dia seguinte à estreia, logo passados 5 dias passou para sessão única às 19 horas. Sobram agora duas sessões, às 19 horas no King, considerem-se avisados.